Dica 20 – Série Matriz Curricular – Replicação de Matrizes

Hoje dou início a série para apresentar várias características da matriz curricular. Esse cadastro contém 99% das informações que o sistema precisa para apuração das situações dos alunos, bem como suas cargas horários, previstas, cursadas e cumpridas.

Vejo essa configuração como sendo o coração do sistema, juntamente com a estrutura de curso. Essa última, daria um livro e não seria viável fazer dicas sobre ela. No entanto como a estrutura de curso está atrelada a várias configurações do sistema, sempre que puder vou falar onde e porque alterações/configurações indevidas podem influenciar no processamento do fechamento e lançamento de notas e/ou frequência do aluno.

Bom, o foco então, nas próximas 16 dicas será a matriz curricular.

A replicação de uma matriz pode gerar uma polêmica, porém, essa polêmica não chega a ser complexa e vocês poderão perceber que, vai depender muito de como as pessoas que gerenciam uma matriz curricular de um curso decidem fazer esse controle.
A equipe de suporte da Qualidata sempre sugere que se houver qualquer alteração na matriz curricular de um curso, qualquer alteração, que essa matriz seja replicada e nessa matriz replicada seja feita todas as alterações necessário, e a partir do próximo período de entrada de alunos que seja usada essa nova matriz curricular.

Replicação de matriz por período letivo

Vantagens

  • Se a cada período letivo de entrada as matrizes forem replicadas a vantagem seria, no caso de uma alteração pontual em alguma matriz, essa alteração só afetaria os alunos de uma determinada turma, pois a cada período de entrada de aluno eles estariam associados a uma matriz curricular, mesmo que a matrizes sejam idênticas

Desvantagens

  • Ter um controle mais detalhado das matrizes curriculares. Dependendo de quantos cursos a instituição possui o controle seria direcionado em centenas de
    matrizes.

    • Num cenário em que a escola tenha vinte cursos ativos de periodicidade semestral, seriam criadas quarenta matrizes por ano. Se todos os cursos tiverem seis semestres/módulos, no final de três anos teria a demanda de gerenciamento de 120 matrizes curriculares, com grande possibilidade de serem todas idênticas.
    • Num cenário onde há 120 matrizes idênticas. Se for necessário alterar uma disciplina, será necessário alterar em ○ todas as matrizes.

Replicação somente quando houver mudança no projeto do curso

Vantagens

  • Não terá o trabalho de replicação em todo o semestre
  • Tendo um universo menor de matriz curriculares o gerenciamento tem a tendência de ser mais eficiente

Desvantagens

  • Em caso de alteração no projeto do curso, se não for criada ou replicada uma outra matriz e as alterações forem aplicadas na matriz atual, terá um efeito colateral em centenas de alunos do passado;
  • Num cenário onde foi criado uma matriz curricular em 2007/1 e somente em 2014/1 houve alteração no projeto do curso. Se houver alteração na matriz criada em 2007/1, todos os alunos desse período serão afetados, seja positivamente ou negativamente em algum momento

Fecho essa dica, então, enfatizando que a decisão nunca é da Qualidata. O Objetivo aqui é mostrar as possibilidades do sistema e como ele efetivas tais controles. Nesse caso específico apresentado, não há decisão errada. Há sim a melhor decisão.
Para replicar uma matriz curricular acesse [Registro Escolar] Cadastros >> Replicar Matriz Curricular, Caso de Uso: 69 – Procedimento Replicação Matriz Curricular.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.